O Kanji e a relação lógica entre uma mulher e uma floresta

Olá galera! Como é que vão? Al here!

Venho aqui hoje pra falar um pouco de baboseiras cultura.

Já devo ter comentado que estava lendo o livro Bushiso – Alma de Samurai de Inazo Nitobe. Pois é jovens… terminei a leitura e em breve começarei a ler o livro novamente! Continuar lendo

Anúncios

Educação no Japão na época dos Samurais

Beleza galeraaaaaaa!!!

Como vão vocês!?

Estou lendo um livro:
Bushido – Alma de Samurai
De: Inazo Nitobe

As pessoas que me conhecem pessoalmente sabem que ADORO artes marciais e cultura japonesa.
Este livro que estou lendo mostra como era/é o código de conduta dos samurais. – “Era” por que a classe samurai não existe mais e “é” por que o Bushido (pronuncia : Bushi-Dô) permanece vivo até hoje em sua essência no Japão.
A pouco li uma parte que fala um pouco sobre a educação da na época as crianças, em especial aos filhos de Samurai para que tivessem desde cedo Coragem e Bravura.

Bushido-Kanji

Bushido

Trecho de Bushido – Alma de Samurai
Capítulo IV – Coragem, O Espírito da Ousadia e Da Orientação
(Segundo Parágrafo)

O Valor, a Fortaleza, a Bravura, a Intrepidez, a Coragem sendo qualidades da alma que mais atraem mentes juvenis, e que podem ser treinadas com exercício e exemplo, foram, por assim dizer, as virtudes mais populares, no início imitadas entre os jovens. Histórias de façanhas militares eram repetidas quase antes dos garotos largarem o peito de suas mães. Um pequeno pateta chora por qualquer dor? A mãe lhe repreende dessa maneira: “Que covarde, chorar por uma dorzinha insignificante! O que você fará quando seu braço for arrancado em uma batalha? E quando você for chamado para cometer hara-kiri?” […] Anedotas de coragem e bravura abundam nos contos dos quartos de criança, embora histórias desse tipo não sejam absolutamente o único modo de imbuir desde cedo no espírito, a Bravura e Fortaleza. Os pais, com severidade, algumas vezes beirando a crueldade, faziam seus filhos realizarem tarefas que suscitavam todo o valor que havia neles. “Os ursos se arremessam com violência à garganta de suas crias,” diziam eles. Os filhos dos samurais eram arremessados em vales ingrimes de provações, e aguilhoados para tarefas sem proveito. A privação de alimento ou a exposição ao frio eram considerados um teste altamente eficaz para acostumá-los à resistência. As crianças de tenra idade eram enviadas para entregar mensagens a estranhos totais, eram levantados andes do sol nascer, e antes do desjejum deviam ir as aulas de leitura, caminhando até seus professores com os pés descalços no frio do inverno; freqüentemente – uma ou duas vezes por mês, como no festival de um deus de aprendizado -, vinham juntos em pequenos grupos e passavam a noite sem dormir, lendo em voz alta, em turnos. Peregrinações para todo tipo de lugares misteriosos, para lugares de execução, para cemitérios, para casa tidas como assombradas, eram passatempos preferidos dos jovens. Na época em que a decapitação era pública, os garotos eram enviados, não apenas para testemunhar a cena macabra, mas tinham também que visitar sozinhos o lugar na escuridão da noite e deixar ali uma marca da sua visita na cabeça decapitada.

Uma das partes que mais me deixou boquiaberto é a reação da mãe ao ver o filho chorar. Ainda bem que a minha mãe não me tratava assim… Ou não.

Para os que ficaram um pouco perdidos o hara-kiri,harakiri ou ainda seppuku era uma forma de ritual suicídio onde o samurai que falhou ou agiu de forma desonrosa corta o seu próprio vente com uma faca curta (tantō, pronuncia “tântoo”).
Era uma morte dolorosa e lenta. Dependendo da situação o samurai “condenado” poderia escolher um companheiro que, por sua vez, poderia aliviar o sofrimento do amigo cortando-lhe a cabeça com uma espada logo após vê-lo perfurando o próprio ventre.

Os princípios do Bushido foram desenvolvidos entre os seculos 9 e 12. Mas Inazo Nitobe colocou sua visão em papel somente apos o inicio do seculo 18.

Al way!

Sacou… Al way tipo Away?… Ah! Deixa pra lá…

Tablets

Boa noite, galera.
Sou eu denovo pra falar de nada com nada! Hehehehehehehe!
A “ultima” novidade e sonho de consumo da galera agora é tablet, para muitos principalmente o iPad.
Bem… não sou tão radical quanto esse cara aqui… mas neste caso eu concordo com ele.

Eu não tenho visto pessoas usando Tablet em geral pra realmente ler noticia ou livro. Só vejo o pessoal vendo foto, lendo blog, jogando ou usando alguns aplicativos de entretenimento.
Sempre que eu vejo isso penso:

“Bom o aparelho é seu… mas eu acho estranho que ele não estava sendo vendido pra isso… você diz que tem milhões de recursos e só joga joguinho casual, instala centenas de aplicativos e num usa nem 1% … gastou uma nota preta pra ter isso… acho que já invetaram coisa mais barata que faça a mesma coisa que você está fazendo.”

Esse é o meu “pé atras” com relação a Smartphone e afins. Tenho um celular ultra simples que faz 200 milhões de coisas que não uso.
Possuo o aparelho a 2 anos e a poucos meses eu descobri que ele tira foto panorâmica.

Eu tenho também um PS3 e uso PRINCIPALMENTE pra JOGAR. As outras coisas que da pra fazer como ouvir musica, ver filme, jogar on-line eu raramente faço. Mas faço!!!

Enquanto a propaganda do videogame é “jogue MUITO JOGO FODA!!! … Ah tambem tem estes outros recursos..!” a propaganda de celular ja virou “COMPRE por que vc vai ter como fazer isso e isso e mais isso e aquilo outro!…………………………………………………………………..*VOLTA*………. Ah e da pra ligar pros outros e mandar mensagem….”.

Isso me lembrou de uma cena de um filme que assisti e é um dos meus favoritos. (Eu gostaria muito de ler o livro.)
A cena é do filme Fight Club (Clube da Luta, com Brad Pitt e Edward Norton), que é muito bom por sinal.

A cena que eu to falando é essa:

Não tem legenda mas o TEXTO TA TODO NA DESCRIÇÃO DO VIDEO, então que m precisar jogue no Tradutor do Google e seja feliz.
O exato ponto que eu estou falando está entre 0:20 e 0:27.

Não sou o modelo de pessoa “não consumista” até por que como eu acabei de dizer eu tenho um ps3 e não preciso dele pra sobreviver. Mas vai lá e tenta quebrá-lo pra você ver se não te quebro no kct também!
O que eu quero dizer é que eu tento manter um pouco os pés no chão (eu disse que TENTO!) e não acho que o tablet seja algo que EU precise.

Prefiro vender minha tv de led juntar com um valor de um tablet e comprar uma tv de led 3d. – é lá vou eu denovo… hauahuauhahuahuhua! consumismo maldito… deve ser coisa de DNA.

E você? Você REALMENTE precisa de um Tablet?

Japão

Boa noite, galera.

Meu nome é Al. Sou o mais novo “postador” do buteco!!!  😉

Iwate é uma das províncias atingidas pelo terremoto e pelo tsunami.
Foram 3 cidades atingidas:

– Kuji,  Iwate Prefecture, Japão
– Miyako,  Iwate Prefecture, Japão
– Kamaishi, Iwate Prefecture, Japão
Ainda assim, lógicamente, desejo muito conhecer o Japão.
A primeira cidade, dentre várias que quero conhecer é a Cidade de Morioka que coincidentemente é a capital da província de Iwate (descobri recentemente).
Procurando no google maps sobre a distancia entre as três cidades atingidas vi que elas ficam um pouco longe (uma delas fica 109 km de distância).
Apesar do choque que tive ao saber da tragédia tive um certo alívio em saber que está cidade aparentemente não foi atingida pelo tsunami. Ainda não sei se houveram estragos causados pelo terremoto.
Abaixo um vídeo que encontrei sobre a cidade de Morioka.

As imagens do trecho entre 1:14 – 1:43 são de um lugar que é um dos cartões postais do local. Este local está presente em um dos meus filmes favoritos que fala sobre história japonesa.
A cidade não é uma cidade de interior como eu imaginava há um tempo atrás. Mas 90% dos elementos citados no filme ainda existem e deixando a cidade ainda muito interessante aos turistas.

P.S.: Vi pela primeira vez um recurso bem legal no maps. Quando você esta procurando por uma localidade passe o mouse em cima de “satélite” ou “earth” uma das opções que vai aparecer é “vídeo”. Ao clicar em “vídeo” o google maps ira mostrar videos que relacionados ao trajeto ou que tem algo a ver com o local. Clique no vídeo e veja o maps realizar um interação com o YouTube.