Educação no Japão na época dos Samurais

Beleza galeraaaaaaa!!!

Como vão vocês!?

Estou lendo um livro:
Bushido – Alma de Samurai
De: Inazo Nitobe

As pessoas que me conhecem pessoalmente sabem que ADORO artes marciais e cultura japonesa.
Este livro que estou lendo mostra como era/é o código de conduta dos samurais. – “Era” por que a classe samurai não existe mais e “é” por que o Bushido (pronuncia : Bushi-Dô) permanece vivo até hoje em sua essência no Japão.
A pouco li uma parte que fala um pouco sobre a educação da na época as crianças, em especial aos filhos de Samurai para que tivessem desde cedo Coragem e Bravura.

Bushido-Kanji

Bushido

Trecho de Bushido – Alma de Samurai
Capítulo IV – Coragem, O Espírito da Ousadia e Da Orientação
(Segundo Parágrafo)

O Valor, a Fortaleza, a Bravura, a Intrepidez, a Coragem sendo qualidades da alma que mais atraem mentes juvenis, e que podem ser treinadas com exercício e exemplo, foram, por assim dizer, as virtudes mais populares, no início imitadas entre os jovens. Histórias de façanhas militares eram repetidas quase antes dos garotos largarem o peito de suas mães. Um pequeno pateta chora por qualquer dor? A mãe lhe repreende dessa maneira: “Que covarde, chorar por uma dorzinha insignificante! O que você fará quando seu braço for arrancado em uma batalha? E quando você for chamado para cometer hara-kiri?” […] Anedotas de coragem e bravura abundam nos contos dos quartos de criança, embora histórias desse tipo não sejam absolutamente o único modo de imbuir desde cedo no espírito, a Bravura e Fortaleza. Os pais, com severidade, algumas vezes beirando a crueldade, faziam seus filhos realizarem tarefas que suscitavam todo o valor que havia neles. “Os ursos se arremessam com violência à garganta de suas crias,” diziam eles. Os filhos dos samurais eram arremessados em vales ingrimes de provações, e aguilhoados para tarefas sem proveito. A privação de alimento ou a exposição ao frio eram considerados um teste altamente eficaz para acostumá-los à resistência. As crianças de tenra idade eram enviadas para entregar mensagens a estranhos totais, eram levantados andes do sol nascer, e antes do desjejum deviam ir as aulas de leitura, caminhando até seus professores com os pés descalços no frio do inverno; freqüentemente – uma ou duas vezes por mês, como no festival de um deus de aprendizado -, vinham juntos em pequenos grupos e passavam a noite sem dormir, lendo em voz alta, em turnos. Peregrinações para todo tipo de lugares misteriosos, para lugares de execução, para cemitérios, para casa tidas como assombradas, eram passatempos preferidos dos jovens. Na época em que a decapitação era pública, os garotos eram enviados, não apenas para testemunhar a cena macabra, mas tinham também que visitar sozinhos o lugar na escuridão da noite e deixar ali uma marca da sua visita na cabeça decapitada.

Uma das partes que mais me deixou boquiaberto é a reação da mãe ao ver o filho chorar. Ainda bem que a minha mãe não me tratava assim… Ou não.

Para os que ficaram um pouco perdidos o hara-kiri,harakiri ou ainda seppuku era uma forma de ritual suicídio onde o samurai que falhou ou agiu de forma desonrosa corta o seu próprio vente com uma faca curta (tantō, pronuncia “tântoo”).
Era uma morte dolorosa e lenta. Dependendo da situação o samurai “condenado” poderia escolher um companheiro que, por sua vez, poderia aliviar o sofrimento do amigo cortando-lhe a cabeça com uma espada logo após vê-lo perfurando o próprio ventre.

Os princípios do Bushido foram desenvolvidos entre os seculos 9 e 12. Mas Inazo Nitobe colocou sua visão em papel somente apos o inicio do seculo 18.

Al way!

Sacou… Al way tipo Away?… Ah! Deixa pra lá…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s